Autoconfiança: A fé que temos em nós mesmos

Autoconfiança: A fé que temos em nós mesmos

Você já deve ter escutado que para alcançar o sucesso, deve acreditar em si mesmo. Entretanto, isso não significa que você não tenha limitações, mas que necessita fazer um levantamento sobre si mesmo, descobrir quais são as qualidades que tem que são fortes e úteis e, em seguida, organizar essas qualidades em um plano definido de ação, para então atingir o seu principal objetivo.

Para ter sucesso, você deve ter fé na sua própria capacidade de realizar qualquer coisa que você condicione a sua mente a realizar. Cultivar o hábito da fé naqueles que estão associados a você, estejam eles em posição de autoridade ou não.

Descrentes não chegam a lugar algum! Se qualquer inventor não tivesse autoconfiança ou fé em seu próprio julgamento, talvez hoje não estaríamos desfrutando de muitos dos seus inventos.

Um objetivo principal definido é o ponto de partida de toda a realização notável, mas a autoconfiança é  a força invisível que persuade, conduz e impulsiona você, dia após dia, até que seu objetivo torne-se realidade. Sem autoconfiança, as realizações do homem nunca teriam passado do status de objetivo, e meros objetivos, por si só, não valem nada.

Reflita:

O quanto você tem fé em si mesmo?

Qual a sua capacidade de realizar os seus planos?

 

Referência:

Napoleon Hill. A Escada para o Triunfo.

1Comment
  • Pedro
    Posted at 15:39h, 27 março Responder

    Quem não tem fé, vê coincidência em tudo. A fé parece ser algo da mais etereidade no extremo da metafísica ao extremo. Dá para entender? Eu não entendo. Eu diria no meu mau inglês there´s no way, não tem jeito. Só os humildes podem experimentar as respostas e ações do próprio Jesus Cristo, de Nossa Senhora ou dos Santos, ainda que não canonizados, em suas vidas. E a coisa é tão chiquérrima que os que passam por estas experiências pessoais não as revelam a ninguém. A priori não tem como e não é conveniente revelar. Passa a ser algo inexoravelmente muitíssimo secreto e pessoal. São respostas fulminantes resultado de orações perseverantes. E a coisa não para por aí, torna-se instigante, muitas vezes a ficha só cai depois. Na hora o maligno à espreita tenta trabalhar a mente do agraciado de modo astuto, a deixá-lo no vazio da coincidência…:)

Post A Comment