Resgate dos Javalis Selvagens reforça importância da Agilidade Emocional

Resgate dos Javalis Selvagens reforça importância da Agilidade Emocional

Treze meninos que passaram dezessete dias lutando para sobreviver, unidos por apenas um sentimento: esperança. Durante duas semanas, a história dos jovens que ficaram presos na caverna de uma montanha na província de Chiang Rai, na Tailândia, foi o principal assunto retratado pela mídia.  Produzido pelo Discovery Channel, o documentário “Operação Resgate: Caverna na Tailândia”, retrata os momentos mais marcantes da operação e nos faz refletir sobre a importância dos nossos valores.

O caso poderia ter terminado em tragédia, mas graças à colaboração de mergulhadores, médicos e ajuda popular, teve um final feliz. Os jovens fazem parte do time de futebol “Javalis Selvagens” e resolveram ir à caverna após um dia de treino, para comemorar o aniversário de um dos jogadores ao lado do técnico Ekkapol “Ake” Chantawong. Mas, devido à uma tempestade, a caverna ficou alagada, bloqueando a saída do local. 

Para sobreviverem, os meninos se alojaram no único trecho que não havia sido invadido pela água, localizado no fundo da caverna, a 4km de distância da entrada. Porém, com o passar dos dias, se ninguém os encontrassem, eles não resistiriam devido à falta de oxigênio, que gradativamente iria se esgotar.

Os familiares, ao notar a ausência do grupo, contatou a equipe de resgate, que se mobilizou para iniciar as buscas rapidamente. Inúmeros profissionais de diversas áreas de conhecimento e com experiência se uniram no que se tornou a maior operação de resgate internacional da história. Mas, o alto nível de inundação da caverna e os trechos com menos de trinta centímetros de livre passagem dificultavam a operação, o que exigiria ainda mais engajamento e conhecimento dos profissionais envolvidos.

Diante da situação adversa, os integrantes da missão pensaram juntos para que o obstáculo pudesse ser driblado. Aqui é possível observar quão forte é a solidariedade e como o laço que nos une se solidifica quando trabalhamos com a fé e determinamos um propósito. Foi decidido então que os meninos não seriam retirados todos de uma vez da caverna, mas sim dois meninos a cada dia, uma vez que, por estarem há dias sem alimentação, estavam muito fragilizados e não aguentariam nadar até a saída da caverna, bem como, a preocupação com a equipe de resgate, em função da complexidade do salvamento. Não arriscar mais vidas.

A colaboração é colocada em prática durante toda a trajetória da história, pois em nenhum momento ninguém ficou sozinho. Além do planejamento, pessoas com conhecimento e muita experiência em mergulho e em outras especialidades atuaram na situação adversa. Havia uma grande diversidade de pessoas e profissões que planejaram tudo para que todos saíssem vivos, a exemplo dos remédios tranquilizantes administrados aos meninos para que não entrassem em pânico no momento da travessia dos espaços apertados, escuros e inundados, pois nenhum deles sabia nadar.

Os meninos também colocaram em prática a Agilidade Emocional, pois encararam o problema e contribuíram para que o resgate fosse um sucesso. Eles buscaram manter a calma e se amparam nas aulas de meditação que o treinador ensinou a eles.

Enquanto especialistas de várias áreas, inclusive Elon Musk, fundador da Tesla, que sugeriu a perfuração da caverna, estudavam formas de resgatar os meninos, equipes trabalhavam para bombear o máximo de água para fora da caverna, aumentando assim a área seca para que não houvesse a necessidade de mergulho durante todo o trecho. 

Após o resgate dos meninos, uma nova tempestade colocou em risco mais de mil pessoas que ainda estavam dentro dos túneis, mas com paciência e empenho, tudo acabou bem. Ou quase tudo, uma vez que mesmo com todo o profissionalismo, um dos mergulhadores faleceu no meio da operação devido à um problema com seu equipamento.

Trabalho em equipe, planejamento, pensamento estratégico, coragem e agilidade emocional. Sem o exercício desses valores, talvez os 13 meninos tailandeses não tivessem sido salvos. Determinação e fé também possuem um grande peso em situações como a retratada pelo documentário. Mais do que uma missão humanitária, o resgate dos meninos da caverna é uma lição de vida. 

Com esta história podemos abstrair os seguintes ensinamentos:

A importância de planejar antes de agir;

  • Estratégias que deram certo em determinada situação podem não dar certo em outras;
  • Ter conhecimento e trabalhar com uma diversidade de pessoas são importantes;
  • Trabalhar em equipe facilita a execução de processos e pode otimizar o resultado final;
  • É preciso ter determinação e não desanimar diante de momentos difíceis;
  • Tenha ciência de que nem sempre o caminho almejado será livre de obstáculos;
  • Percepção aguçada para enxergar a situação com sabedoria. A Agilidade Emocional abre nossos olhos e nos permite ver os pontos positivos presentes em cada contexto;
  • Fé para acreditar que todo o esforço vale a pena e que é possível encontrar uma saída para superar um grande obstáculo. Aposte suas fichas no que você acredita.

Foram citados vários pontos importantes para que o resgate fosse bem-sucedido. Qual deles você considera mais importante? Determinação, planejamento, trabalho em equipe, Agilidade Emocional ou paciência? Comente conosco!

E qual ponto você acha que precisa ser melhorado? Conte com a Infinita Engenharia do Potencial Humano para seu desenvolvimento pessoal e profissional!

 

 

No Comments

Post A Comment