Estrelas Além do Tempo: uma lição de garra e empoderamento

Estrelas Além do Tempo: uma lição de garra e empoderamento

O filme “Estrelas Além do Tempo”, dirigido por Theodore Melfi, conta a história de três grandes mulheres que contribuíram para a história em um período marcados pela corrida espacial e o desafio de buscar um lugar de reconhecimento e igualdade no cenário de segregação de gênero e racial nos EUA na década de 60.

O filme mostra a história e o posicionamento das três matemáticas e afro-americanas da NASA: Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson, que apesar de todo o conhecimento com cálculos, o que já era um diferencial para a época, elas tiveram que superar vários desafios em um lugar até então ocupado e consolidado para homens e, principalmente, brancos.

Katherine Johnson foi conquistando seu espaço devagar, com muita inteligência e postura para se colocar e mostrar seu potencial para resolver os principais desafios da corporação. Seu chefe, vivido por Kevin Costner, foi um importante mentor na história de Katherine Johnson, que no dia a dia vivia obstáculos. Kevin foi chamado a atenção por Katherine a respeito das barreiras que ela enfrentava no ambiente corporativo e foi contribuindo para eliminá-las e para que a profissional otimizasse seu tempo e fosse mais produtiva. Ela não se deixou abater pelas limitações e com a sua agilidade emocional, teve a capacidade de conquistar seu espaço e se tornar relevante.

Em outro departamento da NASA, Dorothy Vaughan mergulhou em um oceano azul. Ela encontrou uma forma de se diferenciar e percebeu qual seria a demanda futura: a entrada dos computadores e máquinas potentes da IBM no mercado de trabalho, substituindo a função de cálculo manual. Ela buscou por si própria conhecimento para manejar a máquina que nem mesmo homens que a implantaram conseguiam dominar. Ela tinha potencial para ser supervisora e conhecia o talento de cada uma de sua equipe. Outra capacidade que ela teve de liderança foi a de preparar as pessoas da equipe para também assumir um novo desafio. Seu poder de integração era tão forte que ela só aceitou ser promovida se pudesse levar junto seu grupo de mulheres, tão talentoso quanto sua líder.

Mary Jackson já tinha dois cursos de graduação e decidiu ser engenheira na NASA. Foi necessário entrar com ação na Justiça para conseguir assistir as aulas junto com os brancos. Ela teve a capacidade de convencer o juiz de que ele seria inovador e lembrado pelo fato de dar a oportunidade de uma mulher negra estudar e fazer Engenharia e construir uma brilhante carreira.

“Estrelas além do tempo” também mostra a barreira que elas enfrentam até mesmo dentro de casa, com os maridos que não entendiam a ausência da mulher ou que não apoiavam inicialmente a tentativa de estudar. Mas elas mantêm o foco e determinação para continuar e conseguem atingir o objetivo.

Cada uma delas, com conhecimento e trabalho, foram abrindo portas e sendo reconhecidas pela alta performance na NASA. Apesar do preconceito, dificuldades e tentativas de boicotes, as três mulheres matemáticas mostraram sua agilidade emocional no ambiente corporativo e seguiram confiantes seu trabalho posicionando-se através de muito conhecimento e mostrando-se relevantes.

Mesmo após quase 60 anos dos acontecimentos retratados pelo filme, as mulheres continuam a lutar por seu espaço no mercado de trabalho diariamente e, principalmente, provar que são capazes de trabalhar e “dar conta do recado”, dividindo seu tempo entre o trabalho e a casa.

A pesquisa “Closing the Gender Gap” realizada em 2015 pela empresa de consultoria empresarial americana McKinsey & Company e que serve de referência até hoje, aponta que se houvesse a equidade de gêneros no mundo, o PIB mundial teria um aumento de US$ 28 trilhões em sete anos. Essa pesquisa ainda revelou que se a desigualdade tivesse fim no Brasil, o nosso PIB teria um aumento de US$ 850 bilhões.

As mulheres do filme “Estrelas além do Tempo” são exemplos a serem seguidos. Com elas podemos aprender que:

  • As mulheres podem conquistar seu espaço se candidatando a vagas de liderança nas empresas e acreditando que são capazes de ocupá-las
  • Trabalhar a divisão de tarefas em casa juntamente com seu parceiro
  • É possível conciliar trabalho e família
  • As mulheres podem se unir mais para crescer juntas
  • Estudar para ocupar cargos estratégicos
  • Ter autoestima para lidar com os obstáculos e opiniões preconceituosas
  • Ter Agilidade Emocional dentro da empresa para ser capaz de continuar seu trabalho apesar do preconceito e outros desafios
  • Investir no autoconhecimento para driblar as barreiras internas e externas e entender seu propósito enquanto profissional capacitado para exercer aquela atividade

E qual ponto você acha que precisa ser melhorado? Conte com a Infinita Engenharia do Potencial Humano para seu desenvolvimento pessoal e profissional!

Curiosidades: confira quem as pessoas reais que inspiraram “Estrelas além do tempo”.

https://oglobo.globo.com/cultura/filmes/quem-sao-as-pessoas-reais-que-inspiraram-estrelas-alem-do-tempo-20861807

No Comments

Post A Comment