UMA HISTÓRIA E VÁRIAS VERSÕES DE “HISTÓRIA DE UM CASAMENTO”

UMA HISTÓRIA E VÁRIAS VERSÕES DE “HISTÓRIA DE UM CASAMENTO”

No começo era um namoro, era admiração e, de repente, assistimos a um divórcio conturbado em que o filme até poderia se chamar “História de um divórcio” em vez de “História de um casamento”. Quem assiste ao filme que concorre a várias estatuetas do Oscar se angustia com o espetáculo que a separação do casal se torna nos tribunais.

Nota-se que a falta de comunicação deixa o próprio Charlie (Adam Driver) perdido. Ele custa a acreditar no que está acontecendo e como tudo foi se desencadeando para um terrível embate de advogados e versões sobre os fatos elevadas à última potência, para pior é claro. Nem Nicole (Scarlett Johansson) nem Charlie (Adam Driver) sabem como se deu o início das brigas e como tudo vai terminar. Os acordos caem por terra, aquele amor e reconhecimento saem de cena e dão espaço ao ego, em uma luta verbal e pela guarda do filho. Uma insana provação de poder. De provar que Nicole pode ser uma diretora e atriz de sucesso longe do marido e o marido que quer provar que ama o filho e quer lutar pela sua guarda. Sabe aquelas vezes que desgastamos nossa saúde e dinheiro tentando provar algo para alguém? O filme mostra muito bem isso. Todo o dinheiro que Charlie poupava para pagar no futuro a faculdade de seu filho é usado para custear seu advogado. Algo parecido com as pessoas que se matam de trabalhar para depois gastar seu dinheiro se tratando. Nos colocamos em duelos que nem nós mesmos entendemos. O que nos falta? Nos falta comunicação, empatia e, em muitos casos, nos sobra ego.

Quem ganha nesta disputa? Claramente saímos perdendo. Quando deixamos de desenvolver Agilidade Emocional, o espaço que nosso cérebro ocuparia tentando pensar a solução, é tomado pela raiva, competição e desejo de estar com a razão….É mais importante ganhar a discussão contra o outro do que estarmos bem conosco. É tudo uma questão de olhar os lados e versões.

Tenho acompanhado algumas palestras e eventos corporativos sobre o mundo do trabalho e os problemas complexos que serão enfrentados no futuro. E uma das pautas em evidência é a colaboração, a busca conjunta em vez de a busca individual e egocêntrica. Menos competição e mais construção juntos.

Depois de muito desgaste e vitória da advogada de Nicole, o casal consegue chegar a um consenso em prol da felicidade do filho e cada um segue a sua vida. Sobre o filme, versões do casal e a vida? Evite embates desnecessários e procure estar, antes de tudo, bem com você mesmo. Isso te ajudará a ver todos os problemas com mais clareza e empatia e se comunicar melhor.

Pratique o autoconhecimento e potencialize-se!

No Comments

Post A Comment