This Is Us: uma série sobre a vida

This Is Us: uma série sobre a vida

Lançado em 2016, This Is Us é uma série sobre a vida. O que torna especial é a simplicidade das relações. A série que, mesmo antes da estreia da primeira temporada, já tinha quebrado o recorde de audiência ao publicar o primeiro trailer no Facebook e bater 70 milhões de visualizações em menos de duas semanas.

A série acompanha a família Pearson: os pais Jack e Rebecca, os filhos gêmeos Kevin e Kate e o adotivo Randall. Cada episódio equilibra três momentos diferentes, sempre mostrando a infância, adolescência e fase adulta dos filhos, sempre explorando as relações familiares, mas principalmente com Jack, o pai.

À medida que situações aparecem na fase adulta, a série, através de flashbacks, exibe a mesma situação em épocas anteriores, como se fosse uma explicação e complemento para entender como cada personagem se comporta, e aqui vai um aviso: a série te fará chorar. Jack, que, infelizmente, no presente está morto – e isso não é spoiler, a série deixa bem claro nos primeiros episódios, é a principal narrativa explorada. É incrível ver a conexão que ele tem com os filhos e com Rebecca, sua esposa. A série destaca cada momento vivido e detalha a influência do pai em cada atitude dos outros personagens.

Cada irmão tem seus dilemas particulares a serem resolvidos. Kevin é uma celebridade de Hollywood, sendo estrela em um show de comédia na TV, e que se dá muito bem com as mulheres. Como todo ator famoso, é constantemente assediado pelos fãs, que estão à procura de uma selfie. Kevin é o irmão que menos sabe lidar com a morte do pai, Jack, e que por trás de tanto carisma, esconde muita tristeza. Tristeza que é “aliviada” na bebida – assim como o pai –, outro fator que desenvolve muitos conflitos na vida do irmão mais velho.

Kate é melhor amiga de Kevin, seu irmão gêmeo. Além de ter essa conexão com Kevin, mora perto do irmão, o que os torna confidentes um do outro. Kate foi para a faculdade, mas não se formou e seguiu sua vida acompanhando Kevin em Los Angeles, e talvez seja a personagem que mais se culpa pela morte do pai. Em momentos esporádicos, alguns traumas são revelados, principalmente em pequenas atitudes que a fazem relembrar seus momentos de infância. 

Uma cena muito triste, mas também muito linda, é quando Kate dá um presente a Toby, seu marido. Ao longo das temporadas, a série mostra os problemas de autoestima da personagem, e, novamente, Jack é fundamental na narrativa.

Randall, um empresário de sucesso, vive no subúrbio com sua esposa e filhas, e além de ser um ótimo profissional no trabalho, é também um excelente pai e marido. Olhando de fora, Randall é um verdadeiro Super-Homem, mas não enxerga os traumas que o personagem tem de lidar. Dentre os três irmãos, Randall é o mais próximo da mãe Rebecca. No desenrolar da história, ele acaba descobrindo muitas coisas sobre seu pai biológico, William – muito explorado na primeira temporada –, e que gera uma sequência de comportamentos em seu futuro.

Por último, Rebecca, esposa de Jack, é mostrada como a esposa e mãe perfeita, tipicamente dos filmes, e de certa forma prova isso durante os episódios. A série mostra seu relacionamento com Jack, uma espécie de amor à primeira vista, e que batalhou muito para continuar existindo.

A série foca muito na relação pai e filho, marido e mulher, mas não cria narrativas mirabolantes para uni-las, apenas usa o cotidiano como cenário. É fácil entender os traumas dos personagens, e é justamente um trauma que ocasiona a primeira lição que a série ensina. Logo no primeiro episódio da série, Jack e Rebecca passam por uma perda muito importante. Perda essa que é fundamental para o resto do seriado. O interessante é que durante o episódio, Jack entende que precisa fazer uma limonada com o limão mais azedo que já teve. A atitude dos personagens passa a mensagem de que, após um momento triste, nós temos duas opções: continuar sofrendo ou superar as dificuldades. A resiliência é uma forma de enxergar saídas dentro de situações que não conseguimos enxergar, e a série mostra muito bem como fazer isso.

Outro dilema sempre vivido por Kate é a inferioridade que ela vê nela mesma. Mas Jack, um pai muito amoroso, constantemente tenta mostrar à filha a beleza que tem nela. O olhar cuidadoso tem de estar presente até mesmo nos problemas. Só podemos melhorar nossas imperfeições se as enxergarmos de forma clara. Às vezes, só precisamos entender que as imperfeições que não conseguimos mudar fazem parte da perfeição do que somos, e essa beleza é transmitida por Jack.

Por último, mas não menos importante, a lição que mais é apresentada durante a série: podemos aprender com os erros. Por ser uma série que retrata a vida, obviamente iria mostrar o que as pessoas mais fazem, que nada mais é que, errar. São muitos episódios baseados em erros dos personagens. E como sempre, todo erro tem uma consequência que prejudica não somente quem comete, mas também as pessoas ao redor. A série deixa isso claro, mas faz questão de falar sobre o que vem depois das consequências. Erros não definem pessoas e muito menos traçam caminhos permanentes. É importante reconhecê-los e usá-los como pontos de reflexão para nossas próximas ações.

Com o passar do tempo e envolvimento com a história, o espectador passa a se enxergar nos personagens, mesmo sem ter a história parecida com eles, e esse para mim é o ponto forte. Muitos filmes e seriados podem ensinar lições, mas This Is Us consegue trazer a história para a vida de quem assiste, e essa capacidade faz tudo ser mais bem compreendido. As principais lições são tiradas dos traumas dos personagens. Superação, autoconhecimento, resiliência e apoio familiar. Isso é o que há de mais nítido na série, e o que torna lições como estas “entendíveis” e “aplicáveis”. É a quebra do ideal de perfeição.

A vida real nem sempre é perfeita, tem seus momentos bons e ruins, e essa é a beleza da coisa. This Is Us é uma série sobre a vida, mas também ensina a viver.

Pratique o autoconhecimento e potencialize-se!

No Comments

Post A Comment