Resenha de série: Atypical – Seu lar é seu refúgio

Resenha de série: Atypical – Seu lar é seu refúgio

Você já pensou se o ambiente da sua casa é seguro em termos psicológicos? Pois é, passamos o mês falando sobre esse assunto nas redes sociais da InfinitaEPH no campo das empresas, mas saiba que devemos prestar atenção nas nossas casas também. Separei essa série para ilustrar a situação. 

Composta por 4 temporadas, a série Atypical é ambientada na casa de uma família americana formada por Sam (filho diagnosticado com autismo), Elsa (mãe superprotetora), Doug (pai que só pensa no trabalho e, consequentemente, é ausente) e Casey (filha mais nova).

Durante os 38 episódios a trama acompanha o processo de amadurecimento de Sam durante o Ensino Médio e início da faculdade, além da rotina e desafios que essa família enfrenta. Elsa tenta proteger Sam de todas as formas, mas isso acaba por atrapalhar o desenvolvimento dele. Até que a terapeuta de Sam sugere que ele busque uma namorada. De início, Elsa não aceita a ideia, pois acha que o filho irá se machucar, mas Sam está determinado e embarca nessa busca.

Ele encontra Paige, uma jovem que estuda na mesma escola que ele, e eles iniciam um relacionamento. Mas a jornada de autoconhecimento de Sam não se resume a isso. Ele ainda precisa conviver com as dúvidas que acompanham todos os adolescentes, como qual curso escolher, qual profissão seguir, entre outras. Apaixonado por penguins, o jovem busca nesse mundo das aves o refúgio para tanta confusão.

Paralelo a isso, Casey não recebe muita atenção dos pais e adotou uma postura durona para lidar com a família. Desse modo, ela rejeita as atenções da mãe constantemente. O pai, por sua vez, cobra que a filha dirija todos seus esforços e atenções para se tornar uma grande atleta de corrida. 

No lar, não há segurança psicológica. Os membros vivem em conflito por diversas razões. No decorrer dos episódios, eles passam a entender que a família é uma rede de apoio e que no fim das contas ela representa um porto seguro. 

Assim como as personagens, devemos sempre extrair o máximo de aprendizados das situações e se repetirmos o erro, basta se lembrar dos aprendizados e aplicá-los. Também devemos sempre nos lembrar de zelar pela segurança psicológica de nossos lares, uma vez que esses locais são nossos refúgios e as pessoas que moram conosco são nossos pilares – bem como somos os deles. 

Além disso tudo, a série traz reflexões sobre a sociedade e também quebra paradigmas sobre pessoas portadoras de autismo.

A série é original da Netflix e foi encerrada após quatro temporadas, ou seja, não haverão gravações de mais temporadas.

Pratique o autoconhecimento e potencialize-se! 

No Comments

Post A Comment