Resenha de filme: 42 – A História de uma Lenda – Como mudar o mundo sendo você mesmo, com Jackie Robinson

Resenha de filme: 42 – A História de uma Lenda – Como mudar o mundo sendo você mesmo, com Jackie Robinson

“Dólares não são preto e branco, eles são verdes”. Essa é uma das frases que mais transparece o início de uma nova era no beisebol, retratada no filme 42 – A história de uma Lenda. O número 42, representado no nome do filme, é sagrado para o esporte norte-americano, pois pertencia ao jogador Jackie Robinson, primeiro afro-americano a integrar-se à Major League Baseball – em português, Liga Principal de Beisebol. 

Baseado na história do jogador e personalidade honrada pelo beisebol, Jackie Robinson, a produção é protagonizada por Chadwick Boseman, ator de Pantera Negra que faleceu em agosto de 2020. Boseman realizou o papel de Jackie transparecendo independência, coragem, profundidade e intensidade do personagem, que possui personalidade forte e não abdica de seus valores para atingir seu objetivo. 

Ao longo do filme, o protagonista reafirma sua independência e, ao mesmo tempo, desenvolve sua forma de se relacionar com a equipe de futebol diante um ato anti racista do colega de time, que o defende de ataques racistas do técnico do time adversário, Ben Chapman (Alan Tudky). Jackie o agradece, o que leva Brandon, jogador que não apoiava a entrada de Robinson no time, aprende a aceitar as mudanças e a evolução da sociedade na aceitação de pessoas independente da cor ou raça. 

Robinson foi recrutado pelo personagem Branch Rickey (Harrison Ford), executivo de um time que está na maior competição da modalidade esportiva de beisebol no país. Quando Rickey diz que os dólares são verdes e não pretos e brancos em resposta à pergunta se não seria polêmico a escalação de um jogador afro-americano à liga, não é apenas para reforçar seu interesse financeiro, mas, também para promover a inclusão, sobretudo, de jovens negros. No momento em que Jackie é colocado no time, Rickey rebate as críticas e o racismo que o jogador recebe ao entrar em campo. 

“Você é a cura, Jackie”, diz Rickey. Essa frase possui uma interpretação profunda para o significado do contexto estadunidense retratado no filme – a segregação racial. A entrada de um jogador negro na liga de beisebol predominante formada por homens brancos gerou intolerância na população racista. Há momentos da história que demonstram a agressividade ao insultá-lo sem limites. Robinson tem que se deslocar à Daytona Beach para evitar ataques raciais, se desconcentra no jogo quando o técnico do time adversário não para de ofendê-lo e é recebido com vaias nos jogos. Porém, diante das atrocidades de um corpo social com mentalidade preconceituosa e discriminatória, Jackie encontra a cura de sua própria raiva internalizada e assim, inspira crianças a serem corajosas que nem ele.

O longa mostra as dificuldades e os desafios da realização do sonho de Jackie e, também, a importância de refletirmos sobre o contexto histórico e a batalha interna que pessoas excluídas socialmente enfrentam pela falta de oportunidades. “Você é o cara mais corajoso que já vi”, a equipe percebe a coragem e a importância de Jackie para o esporte, sua personalidade e caráter não foram modificados pela fama ou afetados de forma negativa devido aos comentários racistas e de repúdio. Robinson revolucionou o beisebol e contribuiu para que o racismo estrutural enfraquecesse, mesmo expressando raiva de anos sofrendo racismo e sem mudar a si mesmo. Sim, ele quebrou paradigmas que possuem reflexo significativo tanto no filme, quanto na vida real. 

Uma curiosidade da história real de Jackie Robinson é que em 1962, o jogador foi ingressado no Hall da Fama do Beisebol e em 1997 a Liga Principal de Beisebol aposentou o número 42, de seu uniforme, nos times da modalidade esportiva. Robinson foi o primeiro atleta a receber essa honra. Assim, no dia 15 de abril de 2004, foi marcado o “Jackie Robinson Day”, data em que jogadores das equipes norte-americanas de beisebol usam a camiseta com o número 42 estampado nas costas. Tal dia também é comemorada a entrada de Jackie na Liga através do time Brooklyn Dodgers. 

O filme 42 – A História de uma Lenda foi lançado em 2013. 

Pratique o autoconhecimento e potencialize-se!

No Comments

Post A Comment